Enquadramento

É sobejamente reconhecido o papel da formação profissional como fator de competitividade e de criação de emprego. No entanto, e apesar de recentes reformas, os sistemas de educação e formação profissional dos países do sul da Europa ainda apresentam alguns constrangimentos, nomeadamente: baixos índices motivacionais de formandos e suas famílias; lacunas entre a oferta formativa e as necessidades específicas do sector empresarial; pouca recetividade dos empresários em acolher formandos em regime de alternância; pouca experiência na organização de percursos formativos em regime de alternância; baixas competências dos tutores; elevadas taxas de abandono, etc.

O setor do comércio é dos que apresenta os mais baixos índices motivacionais entre os formandos e onde o sistema de aprendizagem em regime de alternância poderá ser mais benéfico, potenciando a aquisição de competências e a empregabilidade. Este setor enfrenta tradicionalmente elevados níveis de rotatividade e baixos níveis de competências, pelo que se torna necessário promover uma abordagem diferente, de encontro à inovação e à qualidade, que promova também a transferência de práticas dos países onde estes modelos se encontram mais desenvolvidos.